Buscar
  • Luana Nunes

Capacitação para o mercado de trabalho

Programa Jovem Aprendiz é o primeiro passo da carreira para muitos adolescentes Por Iracema Ferro - Algo Mais Consultoria e Assessoria

Quem busca uma oportunidade de inserção no mercado de trabalho encontra, como primeiro obstáculo, a falta de experiência, exigência no topo da lista das empresas para uma vaga de emprego, ou qualificação profissional - o segundo pré-requisito mais frequente nos processos seletivos. Mas como ter qualificação profissional e experiência se o candidato à vaga nunca trabalhou? A resposta pode estar no programa de aprendizagem profissional, o Jovem Aprendiz, que tem seu dia nacional celebrado neste sábado, 24. Embora seja regulamentado desde 2000, ainda há empresas que possuem dúvidas se precisam ou não contratar aprendizes e jovens que desconhecem como o programa funciona e quem pode participar. De acordo com a coordenadora de Educação Empresarial e Desenvolvimento de Carreiras do Instituto Euvaldo Lodi Regional Alagoas (IEL/AL), Thayse Ferro, o programa Jovem Aprendiz é uma excelente porta para o mercado de trabalho. "Com contrato de aprendizagem, o jovem tem a oportunidade de ser qualificado e colocar esse conhecimento em prática na empresa e, também, aprender com o dia a dia empresarial. A qualificação é o ponto-chave dessa relação, por isso, o IEL, utiliza ferramentas de criatividade e inovação para preparar os jovens para atender os desafios empresariais, além de desenvolver competências comportamentais. Ao final do programa, o jovem sai da aprendizagem com qualificação e experiência profissional”, destaca. Critérios para entrar no mercado Para ser um jovem aprendiz é necessário ter entre 14 e 24 anos incompletos e estar cursando ou ter concluído o Ensino Médio. Parte dos aprendizes são selecionados pelas próprias empresas e encaminhados para a qualificação no IEL, enquanto outras confiam à instituição a seleção desta modalidade especial de colaborador. “Toda empresa que tem pelo menos sete colaboradores, em funções que demandem formação profissional, pode contratar um Jovem Aprendiz. Essa quantidade aumenta proporcionalmente ao número de funcionários”, explica a coordenadora. Para reforçar e garantir o cumprimento das cotas em Alagoas, no ano passado foram criadas as Leis do Jovem Aprendiz Alagoano e do Jovem Aprendiz Maceioense, que estabelece que empresas que querem concorrer à licitação do governo de Alagoas e da prefeitura da capital só podem fazê-lo se comprovar que tem em seus quadros a quantidade de aprendizes preconizada pela lei. Os órgãos públicos também estão obrigados a cumprir uma cota de 11% de aprendizes proporcionalmente à quantidade de servidores efetivos. Mais do que cumprir uma lei e proporcionar qualificação e inserção no mercado de trabalho, o programa de aprendizagem profissional transforma vidas. Experiências e mudança de vida Ana Beatriz da Paz, 21, está em sua segunda experiência como Jovem Aprendiz. A primeira foi na área de Varejo e, agora, está como auxiliar Administrativo, em uma empresa particular. “Estou há um ano e três meses na aprendizagem e tem sido uma experiência incrível. Sempre gostei muito de aprender e vejo que tudo o que aprendo aqui, nas aulas do IEL, são vantagens competitivas para mim, enquanto pessoa e profissional. Ter essa oportunidade de ser aprendiz muda a nossa vida, porque amadurecemos e já chegamos no mercado de trabalho com uma bagagem interessante, pois chegamos com cursos e experiências no currículo”, destaca. O professor de Informática, André Rattes, com mais de seis anos em aprendizagem profissional, frisa que poder ensinar aprendizes foi um divisor de águas em sua vida. “Trabalhei durante muito tempo com adultos e estar com Jovens Aprendizes é maravilhoso. Eles pedem conselhos, são curiosos e tocamos em assuntos como inteligência emocional, que é importante para a vida. É muito bom acompanhar o processo e ver a transformação pela qual os aprendizes passam: entram adolescentes, saem com idade de adolescentes, mas com uma cabeça de jovem-adulto, mais centrados, mais maduros e mais bem preparados para o mercado de trabalho”, define. Mais informações Empresas interessadas em saber mais sobre o programa de Jovem Aprendiz do IEL, podem entrar em contato pelo telefone 2121-3017. Já os candidatos a uma vaga de aprendiz, podem enviar currículos para o e-mail jovemaprendiziel@ielal.com.br.