top of page
Buscar
  • Algo Mais

Alimente-se bem para competir

Com o retorno das atividades presenciais, alguns circuitos serão realizados em Maceió neste ano


Por Carol Amorim - Algo Mais Consultoria e Assessoria


Com o retorno do calendário esportivo este ano, diversas competições estão sendo realizadas e, entre elas, as corridas de rua, que também serão realizadas em Maceió. Mas para além dos exercícios físicos realizados como preparo para as competições, a alimentação dos desportistas deve ser uma aliada para resultar no bom rendimento, na melhoria da saúde e também para outros benefícios que o indivíduo desejar.


Segundo a nutricionista e docente do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL) Ariana Amaral, a alimentação é fundamental para a prática de atividades físicas, a fim de que o praticante tenha energia e consiga realizar a atividade até o fim.


“Para melhorar a alimentação, é necessário conhecer um pouco da história do indivíduo, fazer uma anamnese com ele para saber como é a base da alimentação, se ele tem uma alimentação equilibrada. Se a pessoa procura ajustar tendo em vista uma melhora de desempenho, esse ajuste é feito baseado naquilo que o paciente tem de preferência e o que ele tem em mente com relação à atividade física. Quanto mais tempo antes da competição, mais fácil fica o ajuste”, afirma.


Ela ainda aponta que, para eventos competitivos, há uma atenção à refeição realizada antes da prova e após a prova, para que o competidor tenha energia para executar a atividade e para que ele reponha os nutrientes que foram perdidos.


“Em geral, o competidor deve se alimentar uma hora ou duas horas antes da corrida, por exemplo. Mas essa também pode ser uma programação que vai depender do volume que ele tolera, da quantidade que aguenta ingerir e, ao depender desses fatores, a gente vê quais são os alimentos que são mais adequados para esse tempo”, informa.


A nutricionista revela que, geralmente, os alimentos escolhidos antes da realização das provas são aqueles com índices glicêmicos mais baixos e moderados. Por isso, há a adição no planejamento alimentar de carboidratos que tenham absorção mais lenta, combinados à proteína. Dessa forma, o competidor tem disposição para chegar até o fim da atividade.


Para repor os nutrientes, após a atividade, a nutricionista também orienta a ingestão de alimentos ricos em carboidratos, que podem ser carboidratos simples, para que a glicemia seja elevada mais rapidamente.


“O que esse indivíduo deve evitar antes da competição? A alimentação rica em fibra e gordura e também utilizar suplementos ou alimentos que ele nunca tenha utilizado porque pode ser que ele tenha algum desconforto gástrico e isso vai afetar o desempenho dele”, ressalta.


Outro destaque para um bom desempenho em competições é a hidratação. A nutricionista conta que em corridas de rua, com média de 5km a 10km, apenas água, a cada 15, 20 minutos, é suficiente para hidratar o atleta. Mas para o caso de corridas de maior duração, um cálculo costuma ser realizado, com base no quanto o atleta perderá de peso, para que essa perda seja reposta.


E assim como a hidratação para competições mais longas é mais elaborada, a nutricionista reforça que atletas de alto rendimento, durante a atividade física, também devem fazer uso de carboidrato para alcançar um desempenho seguro.


bottom of page