Buscar
  • Algo Mais

Cuidados ortodônticos na infância

Atualizado: Set 24

Ortodontista destaca que podemos evitar futuras cirurgias dos maxilares quando identificamos o problema e tratamos precocemente


Por Iracema Ferro - Algo Mais Consultoria e Assessoria


Os cuidados com a saúde devem ser iniciados ainda na infância e com a saúde bucal não é diferente, por isso é essencial adotar os cuidados ortodônticos desde a mais tenra idade. Hábitos como chupar o dedo e o uso prolongado de chupeta pode deformar os arcos dentários ainda em formação. Além disso, é importante que maxilares e arcada se desenvolvam para dar espaço a todos os dentes que virão.


De acordo com a ortodontista e especialista em alinhadores Invisalign Andressa Lira, conforme a criança cresce, seu sorriso cresce junto e a fase da dentição mista (ainda com os dentes de leite e já com alguns permanentes) pode ser o momento perfeito para as crianças entre 6 e 10 anos iniciarem um tratamento ortopédico, e destaca que em alguns casos podem ser usados também alinhadores, para expandir, alinhar, nivelar dentes e até avanços de mandíbula . “Esse tratamento é conhecido como Fase 1, onde o objetivo é desenvolver os maxilares e as arcadas dentárias para que haja espaço para os dentes que já existem e para os permanentes que nascerão”, explica a especialista.

Andressa Lira alerta que a “sucção não nutritiva”, os hábitos de chupar dedo ou o uso prolongado de chupeta, também podem causar problemas, que vão depender da frequência, intensidade e duração do hábito, interferindo nos arcos dentários que ainda estão em formação.


“Essa deformação vai depender, também, do local onde o dedo ou chupeta são posicionados. No caso do arco superior, pode haver estreitamento e ficar mais fundo, provocando atresias [fechamento] da maxila, favorecendo a mordida cruzada. No caso de mau desenvolvimento da mandíbula, favorece a mordida profunda. Já a mordida aberta piora pelo hábito do dedo ou chupeta invadindo o espaço dos dentes e língua”, assinala.


A ortodontista destaca que essas alterações e o não selamento do lábio levam a criança a respirar pela boca, pois deixam a musculatura oral flácida. “Crianças com respiração oral podem babar ou até roncar enquanto dormem, cansam mais fácil, têm problemas de postura e atenção, ficam mais sonolentas e indispostas. Essas alterações também podem afetar a fala, fazendo com que a criança troque os sons na hora de falar e, se não corrigido antes de entrar na escola, pode criar problemas na alfabetização”, completa.


Após sanar estas alterações e evitar problemas mais graves no futuro, a fase de ortodontia propriamente dita, tem 100 % de sucesso, e nessa fase os alinhadores ortodônticos Invisalign são recomendados.


“Além da facilidade de higienização, eles são discretos, confortáveis e eficientes, reduzindo o tempo de tratamento em até 50% se comparado com os aparelhos ortodônticos convencionais”, avalia.


Mais informações sobre cuidados ortodônticos na infância e os alinhadores Invisalign, basta acessar o perfil do Instagram @dra.andressa_lira ou pelos telefones (82) 98137-7989 (Maceió) e (82) 99976-4190 (Arapiraca).