Buscar
  • Luana Nunes

Dia da Liberdade de Imprensa

Buscar informações em sites reconhecidos é uma forma que a população também tem de participar desta luta


Por Elzir Souza - Algo Mais Consultoria e Assessoria


Nesta segunda-feira, 3 de maio, é comemorado o Dia Internacional da Liberdade de Imprensa. Instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), a data celebra o direito de todos os profissionais da mídia de apurar e publicar informações de forma livre e concreta. Em meio à globalização e à transição das mídias tradicionais para a internet, os jornalistas combatem, hoje, o excesso de informações falsas e o título de “inimigos” enquanto apostam em credibilidade para fazer carreira no mundo virtual.


Com 24 anos de carreira, tendo larga experiência em diversas redações, assessorias de imprensa, gestão de veículos de comunicação e na academia em Alagoas, o coordenador de Jornalismo do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), professor Roberto Amorim, afirma que os jornalistas são essenciais para combater as fake news e conduzir a sociedade a uma informação verdadeira.


“As redes sociais são um canal aberto para que qualquer pessoa sem graduação possa postar qualquer informação. Dentro deste contexto, o jornalista profissional deve usar o meio virtual para transmitir as informações de maneira correta e combater as fake news que circulam na internet. Temos que ser um farol e guiar as pessoas diante do excesso de notícias falsas, elas estão perdidas de tantas desinformações, é preciso ter e ser um diferencial” comentou o professor.


Conforme pesquisa da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), em 2020 foram registradas no Brasil 428 casos de agressões à imprensa, dados que fortalecem os profissionais a seguir na luta por condições dignas de trabalho, cobrando segurança e poder de liberdade de expressão.


“Informação será sempre o poder e por isso a tentativa de controlar os meios de comunicação persiste em existir. A censura é o contraponto da Liberdade de Imprensa e é comum nos regimes ditatoriais não democráticos”, ressalta Amorim.


Dicas para não cair nas Fake News


Identificar uma notícia falsa não é uma tarefa fácil, porém, é crucial para conter a disseminação das Fake News. Focar exclusivamente no título pode tirar o contexto da matéria e até fazer a pessoa esquecer de observar a data de sua publicação. Muitos textos utilizam clickbait (algo como “isca de cliques”) ou um título chamativo, como estratégia de divulgação online, servindo apenas para fisgar leitores e gerar acessos.


Como um bom professor, Roberto Amorim passa uma orientação importante ao público para que não caiam em armadilhas como essa. “Evite sempre este tipo de conteúdo e sempre leia o texto das matérias. Ainda assim, desconfie de informações extremistas e com informações vagas. Matérias bem escritas e claras acompanham fontes e confirmam a possibilidade de aquela notícia ser verdadeira”, incentiva.