Buscar
  • Algo Mais

Dia Mundial da Fotografia

Professor dá dicas de como exercer o olhar e fazer boas fotografias


Por Anna Sales - Algo Mais Consultoria e Assessoria


Nesta sexta-feira (19), é comemorado o Dia Mundial da Fotografia. A data faz menção à apresentação pública do Daguerreótipo na Academia de Ciências da França, em Paris, no ano de 1839. Quase 200 anos se passaram desde esse dia e desde então, as técnicas fotográficas evoluíram cada vez mais.


Hoje em dia, boas fotos não precisam mais estar diretamente ligadas a um equipamento de última geração. Os celulares estão cada vez mais potentes, com câmeras que produzem imagens através de lentes mais equipadas, gerando um resultado positivo.


“O que precisamos é ter uma visão do que de fato a fotografia necessita transmitir e o que pretendemos com ela. Hoje as redes sociais estão tendo uma demanda de registro fotográfico imensa, mas que não necessariamente nos cobra um bom equipamento. Eu acredito que para se ter uma referência do que é uma boa imagem, primeiro, temos que compreender qual vai ser a função daquela foto: se vai ser transmitido, se de fato terá representatividade para tua história, se é um registro de uma cena bacana ou inusitada e se você quer converter isso em registro”, comenta Beto Macário, fotojornalista e docente da Unit/AL.


A partir disso, Beto explica que cabe ao fotógrafo eleger, de acordo com as técnicas que ele conhece de transmissão de informação através da imagem, qual o melhor ângulo, qual a melhor luz, o que é que precisa evidenciar daquela cena e, partir daí, buscar a melhor estratégia para transmitir a informação que deseja passar.


Boas fotos com qualquer equipamento


O docente explica que, mesmo com qualquer equipamento, é necessário dominar um pouco da linguagem fotográfica. “Hoje, temos contato com o mundo visual através de novelas, séries, filmes que nos traz uma percepção de como produzir uma boa mensagem. Para se ter um repertório e converter isso facilmente em imagem, costumamos trabalhar principalmente com nossos estudantes, com quem temos contato mais próximo, que o repertório visual é adquirido com tudo aquilo que consumimos. Então, tem técnicas aplicadas em novelas, cinema, filme, série, fotografias de uma maneira geral, que nos ajudam a ter esse repertório e consequentemente, aplicar em nossas imagens”, relata.


Já sobre os equipamentos fotográficos, Beto cita que no caso dos celulares e câmeras fotográficas, as lentes precisam de maior cuidado, pois elas estão mais abertas a sofrer algum impacto, alguns arranhões e sujeiras. Tanto os celulares, quanto máquinas fotográficas precisam desse cuidado, para que elas não tenham nenhuma sujeira, arranhões ou sejam danificadas durante o exercício da foto.


Começando a fotografar


Para quem quer começar a fotografar, o docente deixa as seguintes dicas:


1- Ler imagem. “Eu acho que isso é essencial. Porque aí você vai adquirindo um repertório de como transmitir, buscar o melhor ângulo, o enquadramento, plano focal, entre outros elementos”, aponta.


2- Se preocupar com a regra dos terços. Divida a fotografia em nove quadrados, traçando duas linhas imaginárias horizontais e duas verticais - praticamente todos os telefones celulares tem o recurso de mostrar estas linhas na tela - obtendo dois grupos de terços, os verticais e os horizontais. Com a imagem dividida, o fotógrafo utiliza os pontos de cruzamento das linhas para destacar o assunto ou obter uma foto mais equilibrada. Outra opção é alinhar os assuntos da fotografia com os quadros. As linhas podem ainda ajudar a alinhar o horizonte ou destacar um elemento;


3 - Conhecer técnicas. Para o docente, conhecer técnicas como textura e iluminação é essencial para um bom registro.


4- Se atentar ao enquadramento, destacar aquilo que o indivíduo queira fotografar para promover uma conexão em quem vai ver a imagem.