Buscar
  • Algo Mais

Ozonioterapia no pós Covid-19

Atualizado: Set 24

Uso de ozônio medicinal é uma poderosa terapia complementar para restabelecer as funções do organismo


Por Iracema Ferro - Algo Mais Consultoria e Assessoria


A aplicação de ozônio medicinal em seres humanos, conhecida como Ozonioterapia, é utilizada há mais de 130 anos como uma forma segura de tratamento complementar para os mais diversos tipos de doenças e, nestes tempos de pandemia, tem obtido excelentes resultados no cuidado com as sequelas de pacientes que tiveram Covid-19.

Segundo a fisioterapeuta e especialista em Ozonioterapia, Jaqueline Galvão, desde sintomas mais comuns, como alterações no olfato e paladar até limitações de mobilidade, cansaço sem esforço significativo, dificuldade para respirar e perda de sensibilidade nas extremidades do corpo, desorientação psicológica, confusão mental, má circulação sanguínea, inchaço nos pés e mãos, além de escaras (feridas em função dos longos períodos deitado na mesma posição durante a internação) têm sido relatadas por pacientes no pós-Covid.


“A ozonioterapia é um importante recurso para lidar com as consequências da infecção pelo coronavírus, que vão muito além dos danos respiratórios, atingindo diversos órgãos e funções do organismo e causando problemas vasculares, cardiovasculares, insuficiência renal e comprometimento da coagulabilidade do sangue, que, por sua vez, levam a quadros de embolia e trombose. Sem esquecer dos problemas neurológicos, que em casos mais severos podem desencadear em patologias como a encefalite”, destaca a especialista.


Jaqueline Galvão assegura que a ozonioterapia é um poderoso método de tratamento complementar, capaz de evitar agravamentos nestas sequelas e até de reverter alguns dos principais danos sofridos pelos órgãos. De acordo com ela, o ozônio é um excelente agente antiviral, estimula a circulação sanguínea, reduz quadros inflamatórios, restabelece as funções celulares, apresenta efeito analgésico, que devolve o bem-estar do paciente e reduz os desconfortos logo nas primeiras sessões.


"Ele gera estímulo significativo na circulação, atua diretamente contra os problemas vasculares e evita processos de coagulação sanguínea responsáveis por quadros de trombose e embolia; traz melhor oxigenação para o corpo, o que revigora as funções dos órgãos; tem efeito cicatrizante e atua de forma efetiva na regeneração celular e tecidual, recuperando as condições físicas e a função de órgãos comprometidos”, enumera.


Para obter mais informações sobre a ozonioterapia e seu uso nas sequelas da Covid-19, basta acessar o instagram @esteticamais.saude e agendar uma avaliação com a especialista.