Buscar
  • Algo Mais

Você sabe elaborar um currículo atrativo?

Atualizado: Set 24

Saber ajustar o currículo para a vaga pretendida é a melhor estratégia para conquistar o emprego


Por Elzir Souza - Algo Mais Consultoria e Assessoria


Quem busca por uma recolocação no mercado ou por novas oportunidades de emprego precisa estar atento na hora de elaborar um bom currículo. Algumas dúvidas são comuns, como: qual o nível de escolaridade devo colocar? Quais informações pessoais são importantes inserir? O que devo citar como experiências profissionais? Para ajudar os jovens que pretendem ingressar no mercado de trabalho, o Instituto Euvaldo Lodi (IEL/AL), por meio do estágio e do programa Jovem Aprendiz, ensina os jovens a construir um currículo competitivo e impressionar os recrutadores.


O currículo é a porta de entrada do candidato para o mercado de trabalho, e deve ser objetivo, conter informações sobre as experiências do profissional e estar de acordo com o cargo a que se destina. Além disso, deve ter uma estrutura organizacional e passar por minuciosa revisão antes de ser enviado. Saber ajustar um currículo para a vaga é um segredo que nem todo mundo conhece. Aliás, muita gente monta somente uma vez, e sem nunca ter atualizado, envia o mesmo arquivo durante anos.


Pensando nisso, a analista de carreiras do IEL/AL, Francine Ferro, vai responder algumas perguntas, ensinando como elaborar um currículo e torná-lo competitivo na área que o candidato almeja, mostrando um método eficaz para chamar a atenção dos recrutadores durante uma seleção de estágio ou emprego.


Quais dados pessoais devem constar?


O currículo exige algumas informações pessoais, como nome completo, email, telefone, endereço e a idade. São desnecessários dados em excesso, como RG e CPF, e endereços de e-mail pouco profissionais: tenha um com seu nome, sem adjetivos e apelidos.


O que preencher como objetivo?


Logo após seus contatos pessoais, descreva seu objetivo em uma ou duas frases. Deve ser algo curto, simples e refletir brevemente sua expertise. Essa frase inicial pode ser customizada de acordo com cada candidatura e deve aliar claramente sua experiência com as necessidades da vaga. Evite clichês, como: “crescer junto com a empresa”, por exemplo. Aproveite a oportunidade para falar sobre os seus objetivos a curto prazo.


Como apresentar as experiências?


A ordem cronológica deve ser do mais recente ao mais antigo. Lembre-se de colocar aquela atividade de trabalho que você fez, mesmo que não tenha sido formalizada, pode constar por exemplo: o tempo que você auxiliou algum familiar nos negócios, pode ser algum “freelancer”, liderança ou monitoria na turma do colégio/faculdade, enfim, é importante colocar experiências como essas.


Já para os jovens com que buscam o primeiro emprego, não precisa se apavorar, todo mundo tem algo bom para apresentar sobre si. Mostre seus trabalhos, seja em estágios ou em projetos de extensão, procure apresentar suas habilidades em informática, na comunicação com pessoas, em ser criativo, dentre outras.


É aconselhável inserir a pretensão salarial?


Não, a pretensão salarial é algo que você só deve incluir se a empresa solicitar na ficha de inscrição ou responder se for perguntado durante a entrevista. Ao colocá-la no currículo sem que seja solicitada, você corre o risco de ser descartado por propor um valor acima do oferecido no mercado. Além do que, lembramos que estágio é o momento para adquirir experiências e não necessariamente para ganhar dinheiro.


É necessário incluir foto?


A foto não é um item obrigatório, mas existem casos em que algumas empresas solicitam que os candidatos tragam a foto no momento da entrevista. Se isso acontecer, é preciso estar atento sobre qual vai anexar. Evite fotos em situações informais, como na praia ou em um churrasco. Tenha atenção também à roupa que está usando.

Programa de Desenvolvimento de Carreiras


O IEL é a entidade do Sistema Indústria em Alagoas que está presente em todas as etapas da sua carreira, incentivando o estudo e o conhecimento através dos serviços de:

Jovem Aprendiz: capacita jovens aprendizes utilizando ferramentas de criatividade e inovação;

Programa IEL de Estágio: insere estudantes no mercado de trabalho por meio de um sistema nacional que utiliza inteligência artificial no processo de recrutamento e gestão de contratos de estágio;

Educação Executiva IEL: cursos de curta, média e longa duração, desenvolvidos localmente e também em instituições internacionais, destinados a gestores, sucessores de empresas e responsáveis por decisões estratégicas para melhoria das competências em gestão.